Comercialização da carne de porco é afetada

A gripe suína se tornou uma verdadeira polêmica quando descoberta, por isso saiba mais sobre esta gripe, e se aprenda a se prevenir.

Comercialização da carne de porco é afetada

A influenza H1N1 mais conhecida como Gripe Suína acabou deixando todo mundoem alerta. A gripe foi detectada em março de 2009 no México e em pouco tempo se alastrou por diversos países, inclusive no Brasil acarretando diversas mortes.

                       

A gripe inicialmente recebeu o nome de gripe suína, devido a ser comum em porcos na região centro-oeste dos Estados Unidos, México, Japão, Canadá, Quênia, América do Sul entre outros lugares, mas pouco tempo depois ganhou o nome de H1N1 ou gripe A.

Devido ao nome, as pessoas acabaram evitando o consumo de carne suína, mesmo com a declaração do Ministério da Saúde eliminando as chances de contágio pelo consumo da carne de porco. Sem contar que mesmo que os animais fossem contaminados o vírus não sobrevive muito tempo no calor, por isso o processo de cozimento eliminaria os riscos.

Comercialização da carne de porco é afetada 1Principais sintomas.
Assim como a gripe comum os sintomas da gripe suína são bem parecidos, porém mais intensos, variando de pessoa para pessoa. Entre eles: febre alta, coriza, fadiga, dores no corpo, dor de cabeça, dor na garganta, diarréia, vômitos, tosse, entre outros.

Cuidados para prevenir a Gripe Suína:
- Lavar as mãos freqüentemente, principalmente com álcool em gel.
– Cobrir o nariz e a boca ao tossir ou espirrar.
– Evitar tocar os olhos, boca ou nariz sem lavar as mãos.
– Evitar contato com pessoas que estejam infectadas ou que apresentam os sintomas.
– Não ficar em locais aglomerados ou com pouca ventilação.
Não compartilhar talheres ou semelhantes em locais públicos (escolas, posto de saúde ou outro).

Comercialização da carne de porco é afetada 2Vacina contra H1N1:
Aqui no Brasil a vacinação contra a gripe suína foi disponibilizada gratuitamente para a população considerada em risco que são: idosos, crianças, agentes da área de saúde, gestantes e doentes crônicos. A expectativa do Ministério da Saúde foi de vacinar 90 milhões de pessoas.

Situação atual:
Felizmente o pânico das pessoas já passaram, mas nem por isso devem deixar de se cuidar. Ao sentir esses sintomas procure imediatamente uma unidade médica.

0 votes

Nathalia
04/10/11


Mais informações por email.

Deixe uma resposta

Para comentar você precisa realizar seu login com o Facebook